Projeto "Redação em foco"

Aluna: Ádria Godinho
Professora Responsável: Patrícia Almeida
Turma: 2º Ano - 04 - Ensino Médio

Título: Mexeu com uma, mexeu com todas

Atualmente, o número de assédios contra mulheres no Brasil tem aumentado. Melhor dizendo, tem crescido o número de divulgações desses crimes nessa sociedade machista. A mulher está tendo mais coragem para denunciar, se defender, publicar e proteger aqueles que a cercam.

Hoje em dia, há diversos tipos de assédios, como o moral, sexual, processual, psicológico. Todos se tratam, basicamente, da insistência de alguém para fazer algo contra a vontade de uma pessoa, de uma teimosia chegando à humilhação do outro. Os assédios mais comuns são o moral e o sexual.

O assédio moral existe em várias ocasiões, inclusive no trabalho. O contato físico indesejável, piadas grosseiras, ameaças, maledicências, exibição de materiais pornográficos associados às promessas de promoção de trabalho, entre outros, caracterizam o assédio moral no trabalho. O direito à integridade psíquica manifesta-se pelo respeito imposto a todos, de não afetar a estrutura psicológica do outro, seja por ações diretas ou indiretas.

Existem movimentos contra o assédio às mulheres, não só no Brasil, mas em todo mundo. Segundo pesquisas da Organização do Combate à Pobreza, 86% das mulheres brasileiras, já sofreram assédio em público. Isso motiva a mulher para sair nas ruas e reivindicar seus direitos e o respeito. Como dizia Hanna Arendt: “a essência dos Direitos Humanos é a essência de ter direitos”.

Portanto, deve haver mais manifestações para tentar conscientizar as pessoas, principalmente os homens. O filho homem não deve ser criado com um pensamento machista, deve ser ensinado sobre a igualdade de gêneros e o respeito a todos. Assim, pode-se mudar as “ideias” do mundo.